fbpx

Formação: Bacharel em Comunicação e Artes.
Diretor de teatro e Ator DRT nº 30659 
Jornalista DRT nº 14971 
Local: Aclimação, SP
Disponível para: Palestras, cursos. direção teatral e roteiros.

O dramaturgo, jornalista, ator e diretor, Alberto Santoz, nasceu em Santo André, em 10 de março de 1956, estado de São Paulo, mas foi com a família ainda criança para o estado de Alagoas, e lá foi registrado, residiu no local por nove anos, quando seus pais, retornaram a São Paulo.

Terminou a escola básica e ingressou no curso de jornalismo. Já na faculdade teve o primeiro contato com o teatro, conheceu e começou a participar, como ator em um grupo de teatro universitário, fazendo a peça de Nelson Rodrigues “O Boca de Ouro“ no papel de “Leleco”. Com o mesmo grupo, sob a direção de Armando Sérgio da Silva, participou de um longo seminário, sobre o teatro do início do século XX, com ênfase ao Dramaturgo Bertolt Brecht e em seguida, o grupo montou a peça “Galileu, Galilei”. No início dos anos oitenta fundou seu próprio grupo de teatro e iniciou ao seu trabalho dramatúrgico.

Dedicou-se a pesquisa teatral a partir do ano de 1980 com grupos comunitários da cidade São Paulo. Entre 1990 e 2002 segue carreira profissional apresentando espetáculos nos principais teatros da cidade como Ruth Escobar e TBC, como autor e diretor.

Em 2002 conclui o curta-metragem “O Ponto” com roteiro e direção de sua autoria. Alberto Santoz usa formas de dramaturgias adequadas para cada tema abordado. Seja, ao tratar da comédia de situações construída com as estruturas de gente simplória e mal informada, em “O Padre, O Anjo e o Capeta”. Quando faz uma crítica mordaz aos meios de comunicação de massa em “Tirando o Pé da Lama”, brinca com o trágico e o inusitado, com muito humor na tragicomédia “Docka Rey”.

Quando explora, através da dramaticidade às questões sociais como o poder e a ética em “O Sequestro”. Os sentimentos transformando jovens com o passar do tempo em “Segredos & Confissões”, O suspense e o mistério em “O Estranho Inesperado”. E surpreende quando mergulha no labirinto Kafkiano e nos mostra “Kafka, O Julgamento”.

Depara-se com o absurdo da existência e vai além em “Dia Sim, Dia Não” e “Fred & Jack”. Nos últimos anos concluiu suas pesquisas que resultou nas montagens: “O Olho do Here”, “Arapiraca” “Você Nunca Viu Nada Igual”, Demonstrativo para simples conferência, “E Zaratustra falou para jó”.

FORMAÇÃO: Formado em Comunicação Social – Universidade Braz Cubas de Mogi das Cruzes. Curso de Pós-Graduação Aperfeiçoamento para Jornalistas. Profissionais Universidade de São Paulo 1977, 1984.

CURSOS E SEMINÁRIOS: Direção Teatral com Celso Frateschi Oficina Cultural Três Rios-São Paulo, SP 1988. Dramaturgia com Cláudia Dalla Verde. em uma oficina que contava com ilustres alunos: Hugo Possolo e Marco Ricca na Oficina Cultural Três Rios-São Paulo, SP 1987.

Seminário de Dramaturgia realização ECA/FOLHA coordenação de Miroel Silveira, com Renata Pallotini e Clóvis Garcia. São Paulo, SP 1983. O Teatro de Brecht com Armando Sérgio da Silva. Universidade Braz Cubas – Mogi das Cruzes – SP 1978. O Teatro de Nelson Rodrigues com Armando Sérgio da Silva na Universidade – Braz Cubas – Mogi das Cruzes – São Paulo, SP 1977. OFICINAS, WORKSHOPS E PALESTRAS. Workshops com Gerald Thomas – Oficinas Culturais Mário de Andrade.

Palestras com Jerzy Grotowski – SESC Dr. Vila Nova. Palestra com José Celso Martinez Correia, Gabriel Vilela, Gerald Thomas e Cacá Rosset – Folha de São Paulo. Palestra e acompanhamento da montagem “Eras” de Hainer Muller. ATIVIDADES EM TEATRO COMO ATOR. “O Boca de Ouro” de Nelson Rodrigues com direção de Armando Sergio da Silva. 1977. “Galileu, Galilei” de Bertolt Brecht, com direção de Armando Sérgio da Silva. 1978. “Eles Não Usam Black-Tie” de Gianfrancesco Guarnieri, com direção de Mario Elias, 1981. “O Avarento” de Moliére. 1987.

“A Máquina de Fazer Doido” de sua autoria 1982. “Basta Matar o Amante” de sua autoria com direção de Soraya Aguilera, 1984. “Fred & Jack” de sua autoria 1991. “Kafka- O Julgamento” de sua autoria 1997. ATIVIDADES EM TEATRO COMO DIRETOR: “A Revolução Jovem” de Eduardo Guerrero, com o Grupo de Teatro Torre. 1978. “Encantos da Noite” de sua autoria com o Grupo de Teatro Torre. 1981.

“Pluft, O Fantasminha” de Maria Clara Machado, em 1981. “A Máquina de Fazer Doido” monólogo de sua autoria 1982. “O Avarento” de Moliére, com O Grupo Refazendo 1986. “Para Acabar Com O Julgamento de Deus” inspirando na obra de Antonin Artaud, 1990. “Íris” teatro dança com coreografia da bailarina Deborah Furquim, com que foi casado. Núcleo de Pesquisa Cênica. 1991. “Fred & Jack” de sua autoria com Núcleo de Pesquisa Cênica. 1991. “A Maçã Mágica” de sua autoria com, Núcleo de Pesquisa Cênica, 1989.

“O Belo Adormecido no Castelo do Medo” de sua autoria com Núcleo de Pesquisa Cênica, 1992. “O Olho do Herege” de sua autoria inspirado na obra de Lord Byron, com Núcleo de Pesquisa Cênica, 1992. “Fulana, Beltrano e Sicrano” de sua autoria 1993. “Arapiraca” de sua autoria com Núcleo de Pesquisa Cênica, 1993.

“Labirinto Kafka” espetáculo de dança-teatro com a bailarina Deborah Furquim, 1994. “Dia Sim, Dia Não” de sua autoria com Núcleo de Pesquisa Cênica, 1995. “Tirando o Pé da Lama” de sua autoria com Núcleo de Pesquisa Cênica, 1997. “Kafka, O Julgamento” de sua autoria com Núcleo de Pesquisa Cênica, 1998.

“Fred & Jack”, segunda montagem com Núcleo de Pesquisa Cênica, 2000. “Dia Sim, Dia Não”, segunda montagem com Núcleo de Pesquisa Cênica, 2002. CINEMA E VÍDEO Curso de Direção de Cinema com Ivo Branco. Produziu, com roteiro e direção de autoria própria em, 2002 o Curta metragem “O Ponto”. Produziu com roteiro e direção de autoria própria em 2003 o Curta” Integridade Garantida” COMO PESQUISADOR: Em, 1991 construiu na Rua 13 de Maio, 222-Bela Vista, SP.

Um galpão para desenvolver atividades teatrais. No local criou o Núcleo de Pesquisa e Criação – NPC. Com o objetivo de pesquisar uma nova linguagem teatral dando início, aos estudos sobre o trabalho de ator, utilizando-se de técnicas de Vsévolod Meyerhold, Gordon Craig e Peter Brook, entre outros. Durante o ano de 1992 pesquisou a teoria e a prática dos ensinamentos do polêmico escritor, Antonin Artaud, reforçando a pesquisa com Baudelaire e Lord Byron, culminando com duas montagens: ”Para Acabar Com o Julgamento de Deus” e “O Olho do Herege “Em, 1993 teve acesso a duas fitas de vídeo, sobre os trabalhos do polonês, Tadeusz Kantor, até então um estudioso de teatro, pouco conhecido no Brasil.

Com muita dificuldade pesquisou e entrevistou pessoas que possuíam alguma informação sobre o encenador, traduziu para uma linguagem peculiar brasileira. Utilizando-se da técnica inovadora montou o espetáculo “Arapiraca”. Em, 1994 pesquisou toda a obra do escritor tcheco Franz Kafka, o que culminou com duas montagens: “Labirinto Kafka” Espetáculo de teatro e dança e a peça “Kafka – O Julgamento”. Em, 1999 iniciou estudos para criação, organização e implantação de uma nova linguagem, utilizando-se de elementos da Commedia de’ll Arte, das escolas de samba e do futebol.

Em 2006 inaugurou o espaço Cultural Porão das Artes, onde desenvolveu atividades de teatro, dança e cine-vídeo. COMO PRODUTOR CULTURAL: Foi Representante dos produtores culturais da região de Vila Prudente junto a Prefeitura, no Projeto Cultura na Cidade. Administração do Secretário Gianfrancesco Guarnieri. Secretário do Movimento de Cultura da Capital da Secretaria do Estado da Cultura. Editor por dois anos do “Nosso Jornal”, “Jornal do Sapopemba” na região da Vila Prudente. Editor da revista “Entreato”.

Coordenou as reuniões e participou da elaboração do estatuto da Cooperativa dos Bailarinos e Coreógrafos de São Paulo junto com, Ana Maria Mondini, Umberto Silva e Helena Bastos. Elaborou e participou como diretor do Centro Latino-Americano de Criação e Investigação Teatral- Celcit do Brasil, junto com Walter R. Malta, produtor internacional, Marco Antônio Rodrigues, diretor de teatro, Henrique Berguem, produtor internacional, Mario García Guillén, adido cultural da Espanha. Elaborou estatutos e participou como diretor da Rede Cultural do Mercosul de Produtores Independentes de Arte Contemporânea. Produtor da peça “O Padre, O Anjo e o Capeta” de sua autoria encenado no TBC-Teatro Brasileiro de Comédia, com direção de Edson de Santana.

COMO DRAMATURGOESCREVEU: Teatro do Absurdo: Kafka O Julgamento; Dia Sim, Dia não; Fred e Jack; Comédias: Tirando o Pé da Lama; O Padre, O Anjo e O Capeta; Docka Rey, Dramas Épicos: Integridade Garantida; Esqueçam o Que Escrevi; A Máquina de Fazer Doido; Dramas: Basta Matar o Amante; Segredos e Confissões; Estranho Incidente; Outros Gêneros: O Olho do Herege; Arapiraca, Você nunca viu nada igual, Demonstrativo para simples conferro :Íris; Labirinto Kafka; Fulana, Beltrano e Sicrano; Das Impossibilidades, Dançar em Cadeias. Autor do livro Teatro Absoluto – Teoria e Técnica.

Escreveu: 12 Peças para Teatro. 4 Roteiros-Longa para Cinema/Audiovisual: Direção e Roteiro 4 curtas.

CURSOS E SEMINÁRIOS: Direção Teatral com Celso Frateschi, Oficina Cultural Três Rios-São Paulo, SP 1988. Dramaturgia com Cláudia Dalla Verde – Oficina Cultural Três Rios-São Paulo, SP 1987.

Seminário de Dramaturgia realização ECA/FOLHA coordenação de Miroel Silveira, com Renata Pallotini e Clóvis Garcia. São Paulo, SP 1983.

O Teatro de Brecht com Armando Sérgio da Silva Universidade Braz Cubas – Mogi das Cruzes – SP 1978.

O Teatro de Nelson Rodrigues com Armando Sérgio da Silva Universidade – Braz Cubas – Mogi das Cruzes São Paulo, SP 1977. Tadeusz Kantor – Teatro Fabrica São Paulo. Michal Kobialka, Prof e diretor do Dep. de Teatro, Dança e Arte da Universidade de Minnesota (EUA).

OFICINAS, WORKSHOPS E PALESTRAS: Workshops com Gerald Thomas – Oficina Cultural Mário de Andrade.

Palestras com Jerzy Grotowski – SESC Dr. Vila Nova.

Palestra com José Celso Martinez Correia, Gabriel Vilela, Gerald Thomas e Cacá Rosset – Folha de São Paulo. Palestra e acompanhamento da montagem “Eras” de Heiner Muller.

Em 1991 construiu na Rua 13 de Maio, 22 – Bela Vista São Paulo – SP o Teatro Café 222 – Também conhecido como Teatro do npc. Iniciou uma pesquisa de linguagem teatral utilizando-se das técnicas de Vsévold Meyerhokd, Grdon Craig e Peter Brook. Dando continuidade em 1992 com as teorias de Antonin Artaud, Baudelaire e Lord Bayron, culminando com montagem de duas peças teatrais; “Para acabra com o julgamento de Deus e O Olho do Herege”.

Em 1993 teve acesso a duas fitas de vídeo com os trabalhos desenvolvidos pelo teatrólogo polonês Tadeusz Kantor. Teve inicio a sua pesquisa sobre a obra do polemico teatrólogo e influenciado realizou a montagem da peça “Arapiraca”.

Em 1994, pesquisou a obra de Franz Kafka o que resultou em duas montagens de peças e um livro “Peças para 2 e 3 atores”.

Em destaque a peça Labirinto Kafka. Um ano depois escrveu e montou a peça Kafka – O Julgamento.

Em 1999 após uma minuciosa pesquisa sobre futebol, escola de samba e teatro escreveu o livro “Festival de Jogos Teatrais” um completo manual para a organização e o desenvolvimento de grupos de teatro com fins especifico para um grande festival de jogos teatrais.

Foi representante dos produtores cultural da região da Vila Prudente no projeto Cultura na Cidade na administração de Gianfrancesco Guarnieri.

Secretario do Movimento de Cultura da Capital na Secretaria de Cultura Junto com o ex-vereador Francisco Macenas e ex- secretario das administrações regionais da capital.

Editou por dois anos o periódico Nosso Jornal no Distrito do Sapopemba. Editou a revista Entreato. Coordenou as reuniões e elaborou os estatutos da Cooperativa dos bailarinos e Coreografos de São Paulo junto com Ana Maria Mondini, Umberto Silva e Helena Bastos.

Participou como diretor do Centro Latino- Americano de Criação e Investigação Teatral – Celcit do Brasil junto com Walter Roberto Malta, Marco Antonio Rodrigues, Enrique Berguen, Mario Garcia Guillen.

Participou na elaboração dos estatutos da Rede Cuktural do Mercosul de Produtores Independentes de Arte Contemporânea.

desenvolvido por Dobra 7 Digital